O LEMTO

O que é o LEMTO?

O LEMTO - Laboratório de Estudos de Movimento Sociais e Territorialidades - é um grupo de pesquisa vinculado ao Programa de Pós-graduação em Geografia do Departamento de Geografia da Universidade Federal Fluminense. É constituído por acadêmicos – Professores e estudantes de Graduação e Pós-graduação – do Brasil e diversos países da América Latina, a saber: Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia e México.

O objetivo do LEMTO é realizar pesquisas em torno da relação sociedade-espaço tomando por base a constatação que toda sociedade: 

(1) é constituída por relações sociais e de poder contraditórias e que essas contradições se manifestam através de conflitos; 

(2) está inscrita numa relação com a natureza que, assim, é vista como condição de reprodução da vida.

Sendo assim, tanto os conflitos, como os movimentos sociais configuram-se como objetos de estudos privilegiados do laboratório. Deste modo, o LEMTO se coloca num campo próprio no interior da Geografia, e da ciência em geral, em que a ação, os sujeitos/grupos/classes sociais ganham relevância.

A tradição da Geografia tem demonstrado um interesse maior pelo seu objeto – o espaço geográfico – subestimando, quando não omitindo, o debate sobre o sujeito/a ação dos grupos/classes sociais, etnias e povos. O estudo da geografia, ao longo da história, tem privilegiado o papel do Estado na organização do espaço. Os temas de pesquisa desenvolvidos no LEMTO têm servido para afirmar a importância da ação dos sujeitos/grupos sociais na organização do espaço e, de certa forma, viemos contribuindo para o deslocamento do interesse na análise do espaço geográfico como objeto de estudo, para a compreensão dos sujeitos e da ação dos grupos sociais na organização do espaço.

Enquanto laboratório de pesquisa, o LEMTO tem compromisso com a objetividade científica e, filosoficamente, tem compromisso com a produção de um conhecimento que contribua para uma sociedade/um mundo relativamente mais justo e relativamente mais democrático e responsável com as condições de reprodução metabólica da vida. Coerente com esses compromissos e com a premissa de que a sociedade é contraditória, o LEMTO privilegia em suas pesquisas os grupos/classes sociais, etnias e povos que estejam em situação de opressão/exploração, tendo em vista que são esses os grupos potencialmente mais interessados em romper com essa situação e, assim, contribuir para um mundo/uma sociedade mais justa e democrática.

O LEMTO foi se constituindo desde finais dos anos 1980 como um desdobramento das pesquisas efetuadas junto a determinados grupos sociais em luta por justiça social em suas múltiplas dimensões de Classe, de Gênero, Ambientais e Étnico-raciais, entre os quais destacamos os seringueiros, castanheiros e ribeirinhos da Amazônia brasileira e latino-americana; os Povos do Cerrado entre os quais destacamos as Mulheres Quebradeiras de Coco Babaçu, os Quilombolas, os Retireiros do Araguaia, diversos grupos de Extrativistas e Comunidades Tradicionais, além de grupos de jovens (Rappers e Hip Hop) e populações de periferias urbanas tanto do Brasil como da América Latina.